Ideais não concretizados?

Resultado de imagem para Soviet Union

Ideias e modelos socialistas, graças ao marxismo e ao extraordinário impacto da União Soviética na história do século XX, tiveram grande influência.

Contudo, indivíduos, grupos e países que sempre tiveram ódio por seus vizinhos, e noções equivocadas acerca do próprio passado, procuram semear a desordem e o desespero, principalmente na juventude, dizendo que o socialismo e o comunismo foram apenas “ideais não concretizados” que hoje devem ser descartados e esquecidos.

“Não concretizados”?

A economia soviética, de Stálin a Brezhnev, foi a que mais cresceu no mundo durante o século XX. Só ficou atrás do Japão e à frente dos Estados Unidos, segundo dados levantados por vários autores, como Angus Madison (2001) The World Economy. A Millenial Perspective.

Esse extraordinário crescimento, concretizado sob terrível bloqueio comercial e militar dos países imperialistas, possibilitou à Rússia deixar de ser um país agrário, tremendamente atrasado, resistir a invasões estrangeiras, e, praticamente sozinha, derrotar os exércitos mais poderosos do mundo.

Além do mais, a “contaminação das consciências” pelos ideais socialistas e comunistas, serviu para semear anseios de libertação nacional e emancipação social. A China, hoje a segunda maior potência mundial, é um exemplo da influência extremamente positiva das idéias socialistas de extração soviética. Sem falar de muitos outros países e sociedades que ainda seriam mundos perdidos não fosse o projeto socialista e o ideal de sociedade comunista (“de cada um segundo suas capacidades e a cada um segundo suas necessidades”).

E por falar em “mundo perdido”, em 1964 o presidente norte-americano justificava o golpe de Estado no Brasil, porque caso contrário o país seria “uma nova China”. Referia-se às modestas, porém necessárias reformas sociais que João Goulart queria implementar. Algumas décadas depois, os chineses, que usaram as conquistas socialistas como trampolim, estão hoje em dia prontos para a sociedade do futuro, enquanto nós continuamos a pelejar, cada vez mais sem esperança, com a nossa própria sobrevivência, como indivíduos e como sociedade.

Pedro Scuro Neto  é autor de Sociologia Geral e Jurídica, cuja oitava edição (A Era do Direito Cativo) é publicada pela Saraiva Educação: São Paulo, 2019.

Publicado por peddyscuro

“I wish Pedro to retain, and deepen, and continue to savor his commendable thoughtful and illusion-free, while understanding and forgiving, even if hardly ever reconciled, stance towards our human condition!” Zygmunt Bauman, professor emeritus of the universities of Leeds and Warsaw.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: